Vitor Hugo: "O riso é o Sol que afugenta o inverno do rosto humano"

Quando chego cedo ao trabalho, fico sentado na balaustrada do estacionamento, em baixo do Sol escaldante. Os colegas de trabalho me perguntam qual foi o castigo que estou pagando. A resposta é simples: para mim o SOL representa VIDA. Nesses tempos em que estou tão cercado de coisas negativas, quero receber os bons fluidos que o nosso Astro Rei pode proporcionar-me.

Acho que o meu trauma com a chuva começou depois de ter visto, quando pequeno, aquelas enchentes e catástrofes que aconteceram no subúrbio de Salvador. A chuva me remete a algo melancólico, depressivo. Me faz mal quando o dia esta chuvoso. Tem gente que adora chuva. Dança e tudo em baixo dela, como disse uma vez o Bóris Casoy em uma entrevista. Realizem o vovô Bóris de short e camiseta regata tomando banho de chuva no jardim de sua mansão.

Chuva só é bom para mim em cena de filmes americanos. Uma lareira, um chocolate quente e uma bela mulher para amar. Lembrei-me de várias cenas de filmes assim e também do filme Como água para chocolate.

Rafael Veloso

É editor do Site Rafael Veloso.com.br. Jornalista formado pelo Centro Universitário da Bahia – Estácio / FIB, em 2009. Tem experiência com produção de rádio e TV, passagem por veículos impressos e sites. Atua em assessoria de imprensa desde 2010.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *