Teleton – uma lição de vida

Assistindo hoje (dia 20) a maratona televisiva em prol da construção de mais um centro de assistência e reabilitação de portadores de deficiência física da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente), os telespectadores puderam me emocionar inúmeras vezes ao ver verdadeiras lições de vida. Durante quase 28h, o SBT (Sistema Brasileiro de Televisão) mostrou exemplos de garra e força de vontade de crianças sem pernas e braços lutando para serem felizes e se tornarem independentes do auxilio de seus familiares.

Essas imagens nos fazem refletir sobre a gana pela vida que nós, tidos como pessoas “normais” – como se eles também não fossem -, não estamos tendo. Porque reclamar se estamos sem emprego neste momento, se tivemos que parar temporariamente os estudos ou se estamos sem aquela pessoa amada perto da gente, diante a grandiosidade dos problemas enfrentados por essas pequenas criaturas na sua face inicial de suas vida? Somos dotados de pernas e braços e assim, capazes de reescrever nossa história. Dar a volta por cima e enfrentar esses pequenos percalços que a vida nos impõe.

O INÍCIO – A AACD foi fundada em 1950 pelo Dr. Renato da Costa Bonfim e tem como missão: “tratar, reabilitar e reintegrar à sociedade crianças, adolescentes e adultos portadores de deficiência física”. Desde sua primeira edição há sete anos, o TeleTon, mostra sua transparência e credibilidade, sendo auditado pela Trevisan. Em suas sete edições já foram arrecadados R$ 86 milhões. Dinheiro revertido para a construção de cinco centros de atendimento a deficientes físicos, descentralizando o atendimento na sede da AACD, em São Paulo.

Recife (PE), Belo Horizonte (MG) e Porto Alegre (RS), já contam com o atendimento da AACD, além da ampliação das instalações da sede da AACD na capital paulista. Todos frutos das doações do povo brasileiro através de ligações telefônicas e de grande empresas parceiras como Votorantim, Microsoft, Siemens e Bradesco.

No dia 28 de setembro de 2004, graças ao 6º Teleton, a AACD pode inaugurar a sua unidade no estado do Rio de Janeiro. Com 1.661 m² de área construída em um terreno de sete mil m² doado pela Prefeitura de Nova Iguaçu, a unidade opera hoje, com um quadro de 58 funcionários e terá capacidade para realizar diariamente até 650 atendimento.

Devemos vestir realmente a camisa de projetos e iniciativas como TeleTon ou o Criança Esperança, porque a sociedade civil tem sua parcela de culpa e não é só dever cristão repartirmos o que temos, mas também agradecermos a Deus por nossa missão neste mundo ter sido menos penosa quanto dessas crianças.

Não é agouro, mas vale lembrar que ninguém está imune de sofrer algum tipo de deficiência física durante a vida ou ter algum familiar nesta condição, por isso vale se solidarizar e tentar amenizar o sofrimento dos deficientes físicos, dando-lhes o direito a tratamento digno e de qualidade. Outras informações no site da AACD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *