Na falta de criatividade, “vale a pena ler de novo”

Da Série: Analisando o trabalho dos coleguinhas

Parece que a equipe editorial do jornal A TARDE anda com problemas para fechar a edição de domingo. Não é pelo excesso de informação que não caibam nas páginas. Pelo contrário, falta reportagem para preencher as páginas do período. Os jornalistas podem ajudar aos coleguinhas de A TARDE a encontrarem algumas pautas interessantes.

Para se ter uma idéia o jornal somente neste ano publicou três reportagens de página inteira tratando do mesmo assunto: pessoas que decidiram morar sozinhas.

A primeira foi da repórter Tatiane Freitas, em 10 de abril, intitulada: “Um é bom, dois é demais – Jovens independentes, homens e mulheres separados aumentam o time das pessoas que moram só e desfrutam ‘sem grilos’ a própria companhia“. A segunda foi: “O preço da liberdade é altoNo ímpeto de sair da casa dos pais, poucos são os jovens que realmente têm consciência dos encargos que isso trará“, de autoria de Daniela Silva, publicada na edição do dia 22 de agosto. Marcos Casé foi o autor da terceira reportagem do tema, publicado no dia 24 de setembro, com o título: “Eu e eu mesmo – Mesmo sem contar com o conforto e a mordomia da casa dos pais, muita gente prefere a liberdade de morar só“.

No domingo, dia 16/10, “o jornal mais lido do Norte/Nordeste” publicou uma reportagem sobre a lucratividade na venda de produtos porta a porta. Nenhum problema se a matéria já não houvesse sido publicada na capa do cadernoEmpregos & Mercado, semanas antes. Inclusive com a mesma foto, onde um rapaz simula uma abordagem a uma cliente de uma famosa marca brasileira de cosméticos. Como diz o nosso presidente: “assim não pode, assim não dá”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *