Diário Pessoal

Confissões

Olá pessoal, eu bem sei que esse aqui é um espaço reservado para publicar textos intrinsecamente ligados a área jornalística e da mídia em geral, mas cometo a mesma intempérie de algum tempo atrás e partilho com vocês (meus três ou quatro leitores), um pouco da minha vida pessoal e da dor e da delicia de ser Rafael Veloso. De ser um “Guerreiro da Luz”, de velar um “não” e ainda sim, continuar a caminhar numa busca incessante pelo verdadeiro sentido na minha vida: O AMOR!

Estou muito feliz, apesar de todas as atribulações, do corre-corre na faculdade e alguns probleminhas de saúde na família (nada grave, mas deixo claro de antemão). O motivo dessa felicidade toda? A resposta é simples descobri que não preciso estar ao lado de alguém para ser feliz. Basta amar essa pessoa. Na verdade, não fiz essa descoberta sozinho. O DVD Isabella Taviani Ao Vivo, em particular a canção Contramão de Vivianne Tosto, me ajudaram muito nisto. Estou, pela segunda vez em menos de seis meses, novamente apaixonado. Se sou correspondido? Não sei. Se isso me importa? Claro! Mas, enquanto me “armo” com as roupas e as armas do Guerreiro da Luz, e crio coragem para me declarar, vou vivendo esse momento especial. Para vocês um obrigado pelos “ouvidos” atenciosos a essa minha confissão, em forma de canção.

Senhoras e senhores com vocês:

Contramão
(de Vivianne Tosto)

A vida inteira eu desejei um beijo seu
Olhos em você, minha solidão
Deixei, por isso, minha boca viajar
Te procurando pela contramão

Que te queria e eu
Conseguia imaginando
Não te resisto, não
Nem te conquisto, então
De castigo vou ficando

Já que eu não beijo sua boca
Beijo então
Seu perfume
Seu cigarro
Já que eu não toco o seu corpo
Toco então
Um violão embriagado

O que eu sabia é
Que te queria e eu
Conseguia imaginando
Não te resisto, não
Nem te conquisto, então
De castigo vou ficando

Boca a boca vai mudando
Essa vontade
Seu exército invadindo
O meu país
Até quando o corpo pede
Essa saudade?
Mesmo a ilusão de amor
Me faz feliz

Que gosto terá,
De orvalho no ar
Tabaco ou saliva?
Se fosse importar
Seu gosto de mar,
Amor ou despedida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *