Unesco revela que cresce número de jornalistas assassinados em países sem guerra

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) constatou que tem crescido o número de ameaças e assassinatos a jornalistas em todo o mundo, mas, principalmente, em países que não estão em guerra. As investigações apontam que a maior parte dos crimes tem relação direta com o tráfico de drogas, a violação de direitos humanos e a corrupção.

Dados de 2008 e 2009 revelam que 125 jornalistas foram assassinatos neste período. Números semelhantes foram registrados em 2006 e 2007, quando 122 profissionais de imprensa morreram. O estudo completo, denominado a Segurança dos Jornalistas e o Risco da Impunidade, realizado pela Unesco, será publicado no próximo dia 25.

Fonte: Agência Brasil

Rafael Veloso

Jornalista formado pelo Centro Universitário da Bahia - Estácio em 2009. É editor-chefe do site Rafael Veloso.com.br desde 2003. Atuou com produção de programas de TV e rádio, tem experiência com web jornalismo e há 11 anos trabalha com Assessoria de Comunicação Interna e Externa. E-mail: contato@rafaelveloso.com.br.