Primeiro Festival Universitário de Cinema da Bahia exibe 50 filmes

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
O professor Max Bittencourt, criador do 1º Festival Universitário de Cinema da Bahia

Começa nesta quinta-feira (14) e vai até a próxima segunda-feira (18) a primeira edição do Festival Universitário de Cinema da Bahia. Serão exibidos gratuitamente no Circuito Saladearte de Cinema, em Salvador, durante cinco dias, 50 produções de oito estados classificadas para a mostra. O festival irá premiar com R$12 mil os três primeiros colocados da Mostra Competitiva e nas premiações especiais Júri Popular e Prêmio ABCV. Confira entrevista exclusiva com o professor universitário e diretor cinematográfico, Max Bittencourt, idealizado do festival.

Rafael Veloso (RV) – Como surgiu a idéia do Festival Universitário de Cinema da Bahia?

Max Bittencourt (MB) – Surgiu há muito tempo. Desde que me tornei professor universitário de disciplinas de produção audiovisual percebo um número crescente de jovens talentosos e cheios de vontade de fazer filmes. Mas depois de finalizados, os filmes não tinham uma vitrine para divulgação. O festival chegou para preencher essa lacuna, além de divulgar os bons filmes, é um grande incentivo aos cineastas iniciantes.

RV – Quantas inscrições o festival recebeu nesta primeira edição? Como foi o processo de escolha dos 50 filmes selecionados para participar do mostra?

MB – Foram quase 100 filmes e foram escolhidos por mim e mais cinco profissionais de audiovisual, entre realizadores, acadêmicos e profissionais da área, que utilizaram os seguintes critérios para avaliação dos filmes: originalidade, inovação, roteiro, desenvolvimento do tema e direção.

RV – Além da exibição dos filmes selecionados, o que mais terá na programação do festival deste ano?

MB – Teremos as mesas redondas “Novas formas de produção” e “Curta em Todas as Telas – Difusão e Distribuição do Conteúdo de Curta Duração”. Teremos também encontro com diretores para discutir temas como Cinema por Celular, Cinema e Baixo Orçamento e Suportes de captação e novas formas de exibição, oficinas de Cinema por Celular e Roteiro de Ficção.

RV – Como o senhor avalia a produção audiovisual brasileira e particularmente a baiana?

MB – Precisaria de muitas linhas para avaliar a produção audiovisual brasileira. Mas, o Brasil é muito grande e diversificado, oferecendo uma variedade enorme de temas e isso facilita a produção para cinema e TV. Não é difícil encontrar pessoas, assuntos e formatos. No entanto, ainda falta incentivo e canais de exibição. A Bahia tem muita gente talentosa que tem o que dizer e mostrar, e precisa ser vista, seja na TV ou no cinema. A produção local é diversificada, inteligente e bem-humorada. Alguns jovens cineastas baianos vêm trilhando um caminho bonito, mas de muito trabalho e persistência. Acho que é por aí mesmo.

RV – O que falta para que novos nomes surjam no cenário audiovisual?

MB – Produzir um filme hoje em dia talvez não seja a tarefa mais difícil. O grande problema começa quando o filme está pronto e o realizador, muitas vezes não tem como exibi-lo. Faltam canais de exibição. O festival chegou para preencher esse espaço, possibilitando que o jovem diretor universitário já produza com a certeza de que seu filme será visto. Se houver mais incentivo e lugares de exibição para esses filmes, mais pessoas se sentirão estimuladas a produzir. Muita gente boa apareceu assim.

RV – O senhor acha que falta mais apoio governamental e da iniciativa privada? É a favor de editais de fomento a produção audiovisual?

MB – Sou a favor, sim. Acho que deveriam sair mais editais que contemplem todo tipo de produção, nos mais variados formatos e temas. O que vejo muitas vezes é que os editais privilegiam produções com temáticas específicas, não deixando livre essa questão. A arte e a cultura sempre estarão carentes de mais incentivo. O governo pode facilitar criando mais leis de incentivo. Se não for assim, a iniciativa privada não se manifestará em relação a isso.


Serviço

Evento: 1º Festival de Cinema Universitário da Bahia

Data: De 14 a 18 de outubro

Local: Circuito Saladearte de Cinema

Ingresso: Gratuito

Informações: www.festivaluniversitario.wordpress.com

Rafael Veloso

É editor do Site Rafael Veloso.com.br. Jornalista formado pelo Centro Universitário da Bahia – Estácio / FIB, em 2009. Tem experiência com produção de rádio e TV, passagem por veículos impressos e sites. Atua em assessoria de imprensa desde 2010.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *