Iaô Design casa sustentabilidade e transformação social

Marca criada pela Associação Fábrica Cultural, com patrocinio da Braskem e Governo do Estado, lança coleções de design com produtos feitos a partir de lonas plásticas descartadas e assinados por estilistas baianas

Um projeto que deve virar referência em design e sustentabilidade no Brasil será lançado em Salvador nessa quarta-feira, dia 3 de agosto. Esta é a data em que resíduos de lonas plásticas serão mostrados na forma de peças de mobiliário e artigos de moda. O lançamento será em bate-papo sobre design e sustentabilidade no Teatro Eva Herz (Salvador Shopping), com exposição das coleções, a partir das 18h30.

A autoria reforça a riqueza dos produtos, que são assinados pelas estilistas Márcia Ganem e Luciana Galeão, e costureiras e tecelãs de grupos produtivos da cidade, a exemplo da Coopertêxtil. A iniciativa é idealizada e gerida pela Associação Fábrica Cultural, que inova ao investir no casamento entre design e sustentabilidade para promover sua missão de inclusão sócio-produtiva através da Economia Criativa. O patrocínio é da Braskem e Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

Sandálias e bolsas de lona trançada e peças de mobiliário, como almofadas e puffs, chegarão ao consumidor final sob a grife Iaô Design e prometem ser tão surpreendentes quanto o processo social e criativo que está por detrás da sua produção. Tudo costurado, cerzido e alinhavado por mulheres que integram grupos produtivos de Salvador. Ao todo, cerca de 200 pessoas estão envolvidas no projeto.

As peças chegarão ao público com alto valor agregado ao revelar os resultados da união entre iniciativa social, profissionalismo, criatividade e a vontade de provar que ainda há muito a ser feito quando os assuntos são aproveitamento de resíduos, sustentabilidade, trabalho em rede e transformação social.

Itens da coleção assinada por Luciana Galeão e Coopertêxtil com resíduos de lonas plásticasItens da coleção assinada por Luciana Galeão e Coopertêxtil com resíduos de lonas plásticas

Fábrica Cultural – Quem conhece o trabalho da Associação Fábrica Cultural, que tem na sua presidência a artista Margareth Menezes, sabe que o casamento entre moda e sustentabilidade já rendeu excelentes frutos para o Núcleo Produtivo de Moda da entidade. Foi lá que teve início a ideia de aproveitar resíduos de lonas plásticas de publicidade como matéria-prima para as costureiras da Península de Itapagipe, região alvo dos projetos da associação.

Inúmeros acessórios e artigos feitos de lonas plásticas – que iriam para o lixo – foram produzidos desde 2010, quando se iniciou o trabalho do Núcleo, com destaque para coleção de bolsas. Nesse tempo, mais de 2.000 peças foram produzidas e comercializadas, beneficiando cerca de 80 mulheres e funcionando como referência para o nascimento da marca Iaô Design.

Design autoral – A particularidade do projeto Iaô Design está no fato de investir no design autoral por meio da criação assinada por estilistas de renome, a exemplo de Márcia Ganem e Luciana Galeão. A experiência com transformação de resíduos orientou o convite. Sendo a marca uma evolução do Núcleo de Moda, o propósito é ocupar mais espaços, atrair novos olhares, expandir a comercialização e avançar em visibilidade. Para isso, o projeto conta com dois potentes motores: inclusão social e sustentabilidade.

“O projeto IAÔ Design dá a possibilidade de mostrarmos um novo desenho social, que tem a sustentabilidade como um valor a ser seguido. Ele foi criado a partir do núcleo produtivo de moda da Fábrica Cultural, da vocação, do trabalho em rede com costureiras e esse setor produtivo; e vem também utilizando resíduo como uma possibilidade, uma oportunidade de reinvenção”, realça a diretora de projetos da Fábrica Cultural, Teresa Carvalho.

“O projeto IAÔ Design melhora a vida das pessoas por meio das soluções sustentáveis da química e do plástico e isso exemplifica muito bem o propósito da Braskem. O projeto transforma resíduos plásticos em moda e cultura, através do apoio à qualificação da comunidade, e esta é uma grande oportunidade de investimento social para a nossa empresa. Nós acreditamos que o plástico é um material revolucionário, que traz qualidade de vida para as pessoas e pode ser destinado de maneira sustentável através da reciclagem e do reaproveitamento”, declara Helio Tourinho, Gerente de Relações Institucionais da Braskem na Bahia.

Coleção África Gráfica – Assinada por Luciana Galeão, a coleção África Gráfica contou com o auxílio de 15 tecelãs da Coopertêxtil, que há 13 anos funciona no Pelourinho. “A história do tear vem da África e percebi, quando conheci as meninas da cooperativa, que elas tinham um perfil de trabalho bem étnico. Daí surgiu a proposta da coleção, que traz como referência tudo que remete ao contexto africano”, explica a estilista de onde partiu sua inspiração.

Para produzir as peças, foram utilizadas as técnicas de tecelagem com ponto balão e ponto escama de peixe, assim como a cestaria (trançado de filetes do banner), que têm formas geométricas bem étnicas. Os detalhes em franjas, nós, macramê e a descombinação das cores ressaltam também a temática nas peças, que vão do acessório ao utilitário, como bolsas-saco, sandálias, porta-cartão e luminárias. “Foi um desafio para todo mundo. O material parece simples, mas é bem complexo de trabalhar por precisarmos descobrir nele as possibilidades seguras de produção”, relata Galeão.

Mobiliário – Já a linha de mobiliário do Iaô design é assinada pela estilista Márcia Ganem e nasceu como solução para o desafio de apresentar  produtos que utilizam matérias- primas de reuso, com a valorização cultural e identidade local. “Viabilizar soluções de ecodesign em mobiliário foi a melhor solução, porque é uma linguagem que permite cruzamentos interessantes, acolhendo bem as lonas descartadas e outras  soluções ambientais como a utilização de pallets em sua estrutura, além de possibilitar a inclusão da linguagem artesanal”, explica a artista.

Além do mobiliário, Márcia propõe uma série de objetos artesanais, que fundem técnicas tradicionais, como o filé e a cestaria. Assim, os plásticos descartados são transformados em objetos como divisórias, biombos, florais, que dão acolhimento aos ambientes propostos.

“É um prazer ver uma nova marca surgir no mercado, se posicionando de forma propositiva com relação ao meio ambiente e à formação e profissionalização de jovens. Espero que as pessoas se abram para experiência de se relacionar com esses produtos, que trazem a proposta de associar um design de alto padrão com a utilização de materiais reciclados”’, avalia Ganem.

Serviço:

Lançamento Iaô Design

Dia: 3 de agosto (quarta-feira)

Local: Teatro Eva Herz – Salvador Shopping

Horário: 18h30

Rafael Veloso

É editor do Site Rafael Veloso.com.br. Jornalista formado pelo Centro Universitário da Bahia – Estácio / FIB, em 2009. Tem experiência com produção de rádio e TV, passagem por veículos impressos e sites. Atua em assessoria de imprensa desde 2010.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *