Exposição em homenagem a Dona Canô é aberta na Caixa Cultural Salvador

Está aberta para visitação gratuita, na Caixa Cultural Salvador, na rua Carlos Gomes, no Centro, a exposição Ser Feliz é Para Quem Tem Coragem. A mostra, inédita, homenageia Dona Canô, uma das mais notáveis mulheres centenárias da Bahia, símbolo da cidade de Santo Amaro, no Recôncavo Baiano, e matriarca da família Velloso. A exposição reúne objetos pessoais, fotografias, textos, canções, poemas, vídeos e depoimentos que perpassam os seus 105 anos de vida.

Com um convite à aprazível cidade baiana e à casa – sempre de portas abertas – dos Velloso, a exposição tem como nome a mais memorável das frases da homenageada, que transporta os visitantes para o universo simbólico de amor e fé dessa mulher que resume em si a força e a representatividade de um povo. Como em um bordado, os mais de cem anos de Canô são costurados em instalações multissensoriais delicadamente concebidas para a exposição.

A mostra conta com peças como objetos pessoais de Dona Canô, com destaque para a sua coleção de terços e um altar de orações, fotografias raras do acervo familiar, textos em verso e prosa assinados por filhos e netos, além de depoimentos em vídeo – inclusive com falas de Maria Bethânia e Caetano Veloso – exibidos em projeções mapeadas.

Lugares de afeto: Na ambientação, Ser Feliz É Para Quem Tem Coragem propõe um passeio, atento e sem pressa, à cidade de Santo Amaro e à morada de Dona Canô. Seis espaços se alinhavam numa costura cuidadosa de amor, fé, família e força feminina. Lá estão representadas as ruas e casas características de Santo Amaro, a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Purificação, a Feira da cidade e, claro, a casa da família Velloso.

Os 105 anos de vida de Canô ganham um espaço dedicado: uma linha do tempo que se revela em reproduções de suas caixinhas de terço. No quintal da casa da Rua do Amparo, representado em um dos ambientes, o público pode sentar-se à mesa de refeições e alimentar a alma com depoimentos que revelam Canô aos olhos de filhos – entre eles Maria Bethânia e Caetano Veloso, netos e amigos. Em projeções mapeadas, os vídeos serão exibidos nos pratos dispostos à mesa.

O vídeo mapping está também no Teatro Dona Canô, que contará com projeções em tecido. A festa do Terno de Reis – para a qual a homenageada se dedicava fortemente todos os anos e que celebrava o seu casamento de mais de 50 anos com o esposo Zeca – também aparece com cores vibrantes e estandartes.

Menina centenária: Claudionor Viana Teles Velloso, a Dona Canô, nasceu em 16 de setembro de 1907, na cidade de Santo Amaro, pela qual tinha amor declarado. A vida alegre fez com que aos 105 anos ainda fosse, aos olhos de quem a conhecia de perto, uma menina que queria consertar o mundo. Mãe de oito filhos, entre biológicos e adotivos, viveu 53 anos de um feliz casamento com José Telles Velloso, o seu Zeca.

Inquieta, amorosa, festiva e atuante, cumpriu um importante papel social, político e cultural para todo o Recôncavo Baiano, tornando-se símbolo de sua cidade e referência de seu povo. A receptividade era um dom. Sua casa vivia de portas aberta para quem chegasse. Era entrar, comer algo, conversar e receber os conselhos do ‘bem viver’.

A cozinha era o ponto alto da casa, em meio às receitas de maturi. Lutou pela limpeza das águas do Rio Subaé, conseguiu reformar a Igreja Matriz e, graças à boa relação que mantinha com autoridades e personalidades, levou o nome de Santo Amaro para todo o país, tornando a cultura popular da região conhecida e valorizada.

Serviço:

Exposição: Ser Feliz É Para Quem Tem Coragem

Visitação: de terça a domingo (Até 27 de maio)

Horário: das 9h às 18

Local: Caixa Cultural Salvador (Rua Carlos Gomes, 57, Centro)

Rafael Veloso

É editor do Site Rafael Veloso.com.br. Jornalista formado pelo Centro Universitário da Bahia – Estácio / FIB, em 2009. Tem experiência com produção de rádio e TV, passagem por veículos impressos e sites. Atua em assessoria de imprensa desde 2010.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *