Escorial abre comemorações dos 30 anos da Aliança Francesa

Reestreou ontem (4), no Teatro Moliére, da Aliança Francesa, o espetáculo teatral Escorial, encenado pelo Núcleo de Teatro Criaturas Cênica. A peça é uma tradução de Mário Silva para o texto do dramaturgo belga Michel Ghelderode, escrito em 1928. O espetáculo analisa as relações de poder, através da troca de papéis entre um rei decadente e o bobo da corte para que verdades sejam reveladas, enquanto a rainha agoniza em seu leito de morte.

Escorial, que abriu as comemorações pelos 30 anos da Aliança Francesa na Bahia, é dirigido por Ednilson Mota “Pará” (A Vida é Sonho, A Exceção e a Regra) e concorre ao Prêmio Braskem de Teatro 2002, nas categorias: Melhor espetáculo, Melhor Ator para Marcos Machado (Fernando Pessoa e De Alma Lavada) e Melhor Diretor. A peça já recebeu três prêmios no Festival Nacional de Teatro de Teixeira de Freitas: Melhor espetáculo, Melhor Ator e Melhor Figurino para Hamilton Lima. Integram ainda o elenco a atriz Deusi de Magalhães (A Tempestade Exploradores da Caverna) e o ator Leandro dos Reis (Álbum de Família).

A montagem fica em cartaz até o dia 8 de junho, de sexta a domingo, às 21h, no Teatro Moliére (Ladeira da Barra, 401), que se consolida como o mais novo espaço para as artes cênicas baianas. Ingressos: R$ 14 (inteira), R$ 7 (meia) e R$5 para alunos da Aliança Francesa

Rafael Veloso

Jornalista formado pelo Centro Universitário da Bahia - Estácio em 2009. É editor-chefe do site Rafael Veloso.com.br desde 2003. Atuou com produção de programas de TV e rádio, tem experiência com web jornalismo e há 11 anos trabalha com Assessoria de Comunicação Interna e Externa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *