“Agdás urbanos” é o título da nova exposição de Denis Sena

A religiosidade de matrizes africanas e indígenas na exposição Agdás Urbanos na Contemporaneidade, do artista visual Denis Sena, em cartaz no Museu da Cerâmica Udo Knoff, no Pelourinho, Centro Histórico de Salvador. Nas 24 peças expostas, a relação entre o contexto da cidade e a iconografia do candomblé ganha destaque através do grafite e dos agdás – vaso cônico feito de cerâmica.

A mostra é fruto de quase dez anos de pesquisa e imersão no universo do candomblé de nação Angola, feita por Denis Sena. O artista recorre a diversos elementos que mantêm relação com as divindades: cores, como o vermelho de Xangô, o branco de Oxalá, assim como objetos que fazem parte da iconografia: o arco e a flecha de Oxossi ou as folhas de Ossaim.

Outros elementos do cotidiano também servem de metáfora para o significado de cada entidade. Assim, o telefone simboliza Exu, o orixá mensageiro, o fósforo representa Xangô, que tem o fogo como elemento, e os gêmeos erês (cuja palavra significa “divertimento”) são representados por brinquedos – bonecos da linha Playmobil.

Serviço:

O quê: Exposição Agdás Urbanos na Contemporaneidade, de Denis Sena

Onde: Museu da Cerâmica Udo Knoff (Rua Frei Vicente, 3, Pelourinho)

Quando: de terça a sexta, das 10h às 18h; e sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h

Quanto: ingresso gratuito

Informações: (71) 3117-6388

Rafael Veloso

Jornalista formado pelo Centro Universitário Estácio da Bahia - Estácio FIB em 2009. É editor do site Rafael Veloso.com.br desde 2003. Atuou em produção de programas de TV e rádio, tem experiência com web jornalismo e há 11 anos trabalha com Assessoria de Comunicação Interna e Externa. E-mail: contato@rafaelveloso.com.br.