Contardo Calligaris encerra temporada 2015 do Fronteiras Braskem do Pensamento

Juntos seria sempre melhor? Esse questionamento é proposto pelo psicanalista e cronista italiano Contardo Calligaris, como tema de sua conferência que encerra a temporada 2015 do projeto Fronteiras Braskem do Pensamento, em Salvador. O assunto é uma provocação ao tema central do projeto deste ano, que é Como Viver Juntos. “O que lhe faz pensar que viver juntos seria bom? O que lhe faz pensar que quanto mais juntos e não estou falando do ponto de vista numérico claro, porque vamos ser cada vez mais numerosos. Mas, nós temos uma ideia quase que preconceituosa de que o fato de convivermos, estarmos juntos fisicamente ou não, seja bom. Eu não sei se é”, questiona-se Calligaris.

O evento, que tem o patrocínio da Braskem e do Governo da Bahia, através do Fazcultura, e Secretarias de Cultura e da Fazenda, com realização da Telos Cultural e Caderno 2 Produções, será realizado nesta quinta-feira, dia 1º de outubro, às 20h30, no palco principal do Teatro Castro Alves, no Campo Grande. Os ingressos já estão esgotados. A conferência será apresentada pelo jornalista Fernando Sodake e terá como debatedor, o psicanalista Marcelo Veras, diretor da Escola Brasileira de Psicanálise e professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Durante a conferência, Contardo Calligaris falará um pouco sobre seu trabalho, que conduz as pessoas à reflexão sobre a existência humana, contribuindo para amenizar as angústias provocadas pelos desafios contemporâneos e pelo confronto com o outro, que pode limitar os prazeres e contradizer as certezas e seguranças.

TRAJETÓRIA

Radicado no Brasil, Contardo Calligaris é doutor em psicologia clínica, pela Universidade de Provence, e iniciou seus estudos nas áreas das letras e da filosofia. Em 1975 foi aceito como membro da Escola Freudiana de Paris, onde morou até 1989. Lecionou na Universidade Paris 8 e teve aulas com os filósofos franceses Roland Barthes e Michel Foucault, além de acompanhar os seminários ministrados pelo psicanalista francês Jacques Lacan, uma grande influência em sua formação.

Em 1985, veio ao Brasil para o lançamento de seu primeiro livro de psicanálise, Hipótese sobre o fantasma. Posteriormente, acabou fixando residência no País, onde reside até hoje. Suas reflexões se concentram na condição humana da sociedade marcada pela obrigatoriedade da felicidade, do gozo, da beleza e dos excessos. Estudioso das questões da adolescência, considera esta a etapa da vida que possui uma intensa carga cultural e que se caracteriza como uma das mais potentes fontes de energia da atualidade. A adolescência é um dos seus livros mais lidos e estudados.

Além de atender nos seus consultórios em São Paulo e Nova York, é colunista do caderno Ilustrada da Folha de S. Paulo, no qual escreve sobre psicanálise e cultura. Publicou mais de dez livros, incluindo dois romances e uma peça teatral. Criou a série de televisão intitulada Psi, exibida no canal a cabo HBO. Foi professor de estudos culturais na New School de Nova York e professor convidado de antropologia médica na Universidade da Califórnia, em Berkeley. Também faz parte do corpo docente do Institute for the Study of Violence, em Boston.

FRONTEIRAS BRASKEM DO PENSAMENTO SALVADOR 2015

CONFERÊNCIA: Contardo Calligaris, 01/10 (vagas esgotadas).

LOCAL E HORÁRIO: Teatro Castro Alves, às 20h30.

INFORMAÇÕES: 4020.2050 e salvador@fronteiras.com

Rafael Veloso

Jornalista formado pelo Centro Universitário da Bahia - Estácio em 2009. É editor-chefe do site Rafael Veloso.com.br desde 2003. Atuou com produção de programas de TV e rádio, tem experiência com web jornalismo e há 11 anos trabalha com Assessoria de Comunicação Interna e Externa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *