Documentário sobre Mestre Didi volta a cartaz em sessões gratuitas na Sala Walter da Silveira

Após lançamento em 2017, ano do centenário de nascimento do escultor, escritor e supremo sacerdote baiano, o documentário Alápini, A Herança Ancestral de Mestre Didi Asipá, de Emilio Le Roux, Hans Herold e Silvana Moura, volta a cartaz em sessões gratuitas, na Sala Walter da Silveira, no bairro dos Barris, em Salvador. Com produção executiva de Djane Moura Cruz, o documentário será exibido de período de 11 a 17 de janeiro, sempre às 17h (com exceção do dia 13/01, em que a sessão começa às 18h30).
Vencedora do edital Agosto da Igualdade 2017 da Secretaria Estadual de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi/BA), a obra resgata a trajetória do sacerdote através das memórias e relatos dos membros do terreiro Asipá e de sua família, pessoas que conviveram bem de perto com ele. Como artista plástico, Mestre Didi difundiu costumes, línguas, estéticas, literatura e mitologia dos povos africanos, principalmente a sua religião, aprofundando o conhecimento sobre as influências dessa cultura na formação nacional brasileira.
Os diretores conheceram Mestre Didi (1917-2013) há alguns anos, começaram a frequentar o Asipá e ficaram fascinados com a sua sabedoria, elegância e grandeza. Incentivados por José Félix neto do escultor, aceitaram o desafio da homenagem.

Serviço:
O que? Exibição do documentário Alápini, A Herança Ancestral do Mestre Didi Asipá
Onde? Sala Walter da Silveira
Quando? De 11 a 17 de janeiro, às 17h (com exceção do dia 13/01, em que a sessão começa às 18h30)
Quanto? Gratuito

Rafael Veloso

Jornalista formado pelo Centro Universitário Estácio da Bahia - Estácio FIB em 2009. É editor do site Rafael Veloso.com.br desde 2003. Atuou em produção de programas de TV e rádio, tem experiência com web jornalismo e há 11 anos trabalha com Assessoria de Comunicação Interna e Externa. E-mail: contato@rafaelveloso.com.br.