Morre em Salvador o joalheiro baiano Carlos Rodeiro

Morreu na noite desta segunda-feira (dia 26), no Hospital da Bahia, em Salvador, o joalheiro e empresário baiano Carlos Rodeiro. Em abril, Rodeiro foi diagnosticado com um tumor no cérebro e chegou a ser transferido para São Paulo, onde foi operado no Hospital Albert Einstein, mas regressou ao Hospital da Bahia, onde estava internado. Segundo a assessoria de Carlos Rodeiro, “a família, enlutada e entristecida, agradece todo carinho recebido neste momento de dor e lamento”. Os familiares não quiseram divulgar o local e horário do sepultamento para evitar aglomeração.

O joalheiro inaugurou a primeira loja CR Joias em 1987, no Shopping Barra, em Salvador. Carlos Rodeiro misturava nas peças que desenvolvia elementos religiosos, como símbolos do candomblé e do catolicismo, com um toque urbano, como a pulseira do Senhor do Bonfim em ouro e brilhantes. Famoso no meio artístico, Rodeiro já teve joias suas usadas por celebridades como os cantores internacionais Madonna e Elton John, as modelos Gisele Bündchen e Naomi Campbell e o jogador inglês David Beckham, além das princesas Caroline e Stéphanie de Mônaco.

Muitos desses artistas e amigos usaram as redes sociais para prestar suas últimas homenagens à Carlos Rodeiro, como Daniela Mercury. “Carlinhos misturou a arte dele com a minha em muitas ocasiões. Mas, uma das mais especiais foi quando ele desenhou o símbolo do meu amor com Malu”, lembrou a cantora baiana. O renomado fotógrafo Fernando Torquatto também usou suas redes sociais para se despedir do amigo. “Foi embora alguém que jamais poderei traduzir em palavras o que significa pra mim. Muito além da lenda que se transformou como grande joalheiro e figura na Bahia e no Mundo”, publicou Torquatto.

O ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, afirmou: “nos despedimos com muita saudade, mas também com a certeza de que o seu trabalho e, principalmente, a sua amizade permanecerão sempre em nós”. Um dos vendedores da loja de Carlos Rodeiro, Zeca Orrico, falou da inspiração que o joalheiro e empresário era. “Nunca irei esquecer quando comecei a trabalhar na CR Joias, em agosto de 1999. Lembro-me de sempre me espelhar na elegância de CR, de observar o jeito dele vender e assim fui construindo o meu jeito, inspirado nele”, afirmou.

https://www.instagram.com/p/CRz7zoSN5rV/?utm_source=ig_web_copy_link

Rafael Veloso

Jornalista formado pelo Centro Universitário Estácio da Bahia - Estácio FIB em 2009. É editor do site Rafael Veloso.com.br desde 2003. Atuou em produção de programas de TV e rádio, tem experiência com web jornalismo e há 11 anos trabalha com Assessoria de Comunicação Interna e Externa. E-mail: contato@rafaelveloso.com.br.